DOCUMENTÁRIOS ITALIANOS E BRASILEIROS

Il pugile del Duce

Itália, 2017, 65 min

de Tony Saccucci

O filme conta a história incrível sepultada e descoberta do pó dos arquivos, do Leone Jacovacci: um boxeador tecnicamente perfeito, ágil, inteligente e potente. Leone falava perfeitamente quatro idiomas, cinco com o romanesco. Era Italiano e talvez até fascista. Com certeza não antifascista. Só tinha um problema: era um Italiano negro.

La voce del terremoto

Itália, 2017, 35 min

de Alberto de Venezia

Os eventos sismicos em Amatrice e no Centro Itália em Agosto e Outubro 2016 deixaram uma ferida profunda no territorio e na população que ainda se encontra em uma situação de grande disagio.

Strane Straniere

Itália, 2017, 70 min

de Elisa Amoruso

A história de Ana, Ljuba, Rady, Sihem e Sonia. Cinco mulheres que chegam na Itália por motivos diferentes: o amor, o trabalho, a curiosidade ou talvez o destino.

La felicità umana

Itália, 2017, 85 min

de Maurizio Zaccaro

Pobreza crescente, instabilidade social e economica, guerras, fanatismos: como pode o homem contemporâneo ser feliz em um tal contexto? O desenvolvimento não pode ser contrário à felicidade. Deve ser a favor da felicidade humana, do amor na Terra, das relações humanas, da atenção aos filhos, de ter o necessário, o elementar. Porque este é o tesouro mais importante que nos temos: a felicidade.

Silenzi e Parole

Itália, 2017, 86 min

de Peter Marcias

Um confronto entre duas realidades: a Quaresma dos Padres capuchinos e a Queeresma da Associação Arc. De um lado os rituais cristãos seguidos por um público numeroso e devoto, do outro jovens e não jovens que tentam propor com paixão uma ideia de civilidade. No mesmo plano são homens e mulheres de Itália moderna, indivíduos qualquer que através de um compromisso concreto mudam alguma coisa na nossa nação.

Urli e Risvegli

Itália, 2017, 46 min

de Nicola Ragone

O retrato de um homem silencioso, com os olhos brilhantes e cheios de experiências de vida. Quando era jovem queria ser ator, mas ninguém nunca acreditou no seu talento. Hoje ele tem 60 anos e vive em sua pequena cidade natal, Grassano. Trabalha como zelador numa escola. No passado foi alcolatra, mas venceu o alcolismo graças à poesia, algo que ainda hoje acompanha seu caminho errante.

Crazy for Football

Itália, 2016, 75 min

de Volfango de Biasi

Um documentário sobre um time de pacientes psiquiátricos que tentam vencer os campeonatos mundiais no Japão.

The Italian Way

Itália, 2017, 75 min

de Luigi Maria Perotti

Três jovens italianos emigrados que vivem respeitivamente em Rio de Janeiro, São Francisco e Londres. Eles deixaram a Itália levando consigo uma bagagem de formação, experiências, cultura, ideias e criatividade, que lhe permitiu de afirmar-se positivamente nos novos contestos de trabalho e de vida, e de ganhar o apreciamento e o respeito de colegas, amigos, e partners de diferentes nacionalidades. São estes últimos que delinham alguns aspectos típicos de “italianidade”, que – ultrapassando os estereótipos – mostram ser verdadeiros pontos de força de biografias de sucesso.

Dalla Basilicata sotto tutti i cieli

Itália, 2011, 30 min

de Antonio Molfese

A emigração crescente da popolação da Basilicata, região do Sul da Itália.

Adelante Petroleros

Itália, 2015, 75 min

de Maurizio Zaccaro

Um filme de denuncia que relembra com força uma mensagem: o utilizo descontrolado dos recursos naturais, no Ecuador como em outras partes do mundo, não produz desenvolvimento, mas desigualdades, escravidão, pobreza e desastres ambientais.

Divinas Divas

Brasil, 2017, 110 min

de Leandra Leal

As Divinas Divas são ícones da primeira geração de artistas travestis no Brasil dos anos 1960. Um dos primeiros palcos a abrigar homens vestidos de mulher foi o Teatro Rival, dirigido por Américo Leal, avô da diretora. O filme traz para a cena a intimidade, o talento e as histórias de uma geração que revolucionou o comportamento sexual e desafiou a moral de uma época.

E Agora? O tráfico de animais silvestres no Brasil

Brasil, 2017, 72 min

de Humberto Bassanelli

O tráfico de animais silvestre está entre as mais rentáveis atividades criminosas do mundo. O tráfico se inicia pela demanda. De um lado quem deseja ter um animal silvestre, do outro, o traficante. No Brasil, a lei ambiental é fraca, com punições brandas, e isto torna este crime conveniente para o criminoso. Quando as autoridades chegam e apreendem os animais, para o público geral está concluído. A questão que fica é o que fazer com estes animais. E agora?

Olmo e a Gaivota

Brasil, 2015, 87 min

de Petra Costa

Olmo e a Gaivota brinca com fronteira entre documentário e ficção. É um mergulho poético e existencial dentro da mente de uma mulher durante os nove meses de sua gravidez. Olivia, 34, é atriz da companhia de teatro francesa “Théâtre Du Soleil”. Lá encontrou seu namorado e companheiro Serge. Acostumada a ser o centro das atenções durante toda a sua vida, Olivia é um pouco diva italiana e um pouco roqueira punk. Os meses de gravidez tornam-se, para Olivia, um rito de passagem. Ela agora tem que se confrontar com seus próprios fantasmas e medos enquanto tenta reescrever uma nova filosofia de vida.

Simulacrum Praecipitii – a visão do abismo

Brasil, 2013, 25 min

de Humberto Bassanelli

Acompanhando o trabalho do fotógrafo Alessio Ortu pelos labirintos da cracolândia paulistana, revela-se sua procura de enxergar, nos semblantes devastados pelos efeitos do crack, não só os fantasmas que os devoram, mas também os vestígios de uma humanidade em estado de emergência. Mitológica e literalmente o fotógrafo desce às zonas infernais, conduzindo consigo o documentarista – uma alusão ao “Inferno” onde Virgílio conduz Dante pelo inferno.

Mataram meu irmão

Brasil, 2013, 77 min

de Cristiano Burlan

Na noite do 5 de Outubro de 2001, Rafael Burlan foi assassinado com 7 tiros nas costas, no Capão Redondo, São Paulo. O documentário quer reconstruir – através dos contos de parentes e amigos – o que foi o assassinato e suas consequências no trágico destino desta família.

Watch Dragon ball super